Resenha: Cartas Entre Amigos (Sobre medos contemporâneo

Cartas Entre Amigos

Padre Fábio de Melo

iSBN-13: 9788500330599
ISBN-10: 8500330597
Ano: 2009 / Páginas: 240
Idioma: português
Editora: Ediouro

A amizade verdadeira é a excelência moral perfeita, apregoava Aristóteles. O filósofo grego creditava à amizade as razões para entender que ninguém é feliz sozinho. Os amigos encontram-se, descobrem-se e amadurecem juntos. Este livro, que reproduz 18 cartas trocadas entre o educador Gabriel Chalita e o padre Fábio de Melo, registra uma amizade no ápice da maturação. A correspondência aqui apresentada iniciou-se no final de 2008. Na época, Chalita, eleito vereador mais votado do Brasil, preparava-se para assumir seu mandato na cidade de São Paulo. Já o sacerdote enfrentava o fim de uma temporada de 120 shows, na qual seu CD se tornou o mais vendido no país. Num momento atribulado de suas vidas, ambos se deram o direito de parar para escrever. E fizeram mais: escreveram em parceria, o que resultou neste diálogo poético, em que dividem aprendizados de vida com plena generosidade – como só amigos fraternos são capazes de fazer.

Sinopse: Skoob

Olá leitores! Trago pra vocês, algumas frases de um livro, que é meu queridinho, sabe aquele livro, que te aconselha como se fosse um melhor amigo ?  “Cartas entre Amigos” (sobre medos contemporâneos). É um deles pra mim.Vocês que visitam o blog por varias vezes, veem artigos do Gabriel Chalita aqui postados, como também frases dos livros do padre Fábio de Melo. E os acessos as publicações desses dois escritores  é incrível. Bom falando um pouco sobre este livro, é uma livro escrito como já diz o titulo, através de   trocas de correspondências, sobre vários, assuntos, tendo como tema o medo: o medo da morte, da solidão, do fracasso, da inveja, do envelhecimento…

 

Uma das coisa que mais me toca deste livro, é que algumas vezes os autores recorrem a relatos da própria história, para refletir sobre o assunto, correspondente a carta. Isso mostra que não são apenas palavras bonitas e filosóficas, claro que cada um deles têm suas formações acadêmicas, que fazem deles grandes escritores, mas acima da formação, prevalece, a sensibilidade, do ser humano, dois homens que enxergam a dor do outro, como território sagrado. Longe de ser um livro de auto ajuda, esse é um livro escrito entre  amigos que batem um papo, reflexivo sobre suas dores, e aprendizados. Como também relatam histórias de anônimos, de uma forma respeitosa e profunda. Este livro antes de ser impresso no papel foi vivido da carne e gestado no coração de seus autores.  Outro aspecto que gosto muito deste livro, são as citações por eles feita a escritores, e filósofos. Muitas vezes ao ler algumas paginas do livro ia logo da net pesquisar sobre alguns, escritores e filósofos que no livro tinham sidos citados e que me chamou atenção. Isso alarga muito o nosso conhecimento.

Gosto muito de escritores que em seus livros citam os escritores, que são referencia para eles.  Isso serve meio como uma bola de neve meus escritor favorito, que hoje é referencia para mim, tinhaM como referencia tal escritor. Claro que logo vou eu sabe mais sobre ele.  Me encanto também e viro fã de tal escrito. (Logico se eu me identificar). Na verdade nós hoje estamos precisando disso de referencias. No mundo contemporâneo, temos que ter um currículo cheio de referencias profissionais, quanto mais melhor. Porém na vida afetiva e família talvez isso esteja em falta. Talvez  seja esse o o maior fracasso de um homem não ter, e não ser uma referencia para alguém. Quando estava lendo o segundo livro: Cartas Entre Amigos (Sobre Ganhar e Perder) Tomei conhecimento de que Graciliano Ramos autor de Vidas Secas. é meu conterrâneo. Alagoano como eu. Tive vergonha de mim. E agradeci mentalmente ao Padre Fábio pela descoberta, que me proporcionou. E alguns meses depois comprei meu exemplar de vidas secas. Livro maravilhoso, que me fez de algum modo conhecer uma vida semelhante ao que meus avós viveram. Como: Ter  camas feitas de vara dormir em colchão de camim, entre tantas outras realidades, que me lembro ter ouvido nos meu avôs quando criança, e meus pais muitas vezes cita, esses tempos idos para valorizarmos o que temos hoje. Aqui está o valor do referencial.  Fica a dica ai Leia “Vidas Secas”.

Muitos, muitos de nós que lemos os dois livros, temos muita esperança de ser lançado quem sabe um terceiro livro:” Carta Entre Amigos”. Mas enquanto aguardamos quem sabem um terceiro livro. Vale muito apena ler os livros desses dois escritores,  que escrevem com a alma. Cheia de sabedoria diante das causas humanas.

Obs: Carta Entre Amigos (Sobre Medos Contemporâneos)
Ano: 2009
Editora: Ediouro

Por Bia Oliveira

Sobre os Autores :

Nascido em 30 de abril de 1969, em Cachoeira Paulista (SP), Gabriel Chalita revelou-se escritor já aos 12 anos, quando publicou seu primeiro livro. Aos 15, criou uma coleção destinada a crianças em idade de catequese. Sua obra compõe-se de mais de 70 títulos. Dos livros publicados, dois já foram lançados no exterior: “Os dez mandamentos da ética” (em 2004, na Argentina, no Chile e na Espanha, pela Editora Aguillar/Santillana) e “Pedagogia do amor” (em 2006, na Espanha, pela Editora PPC/SM).

Via Site Oficial do Escritor

Fábio José de Melo Silva, mais conhecido como Padre Fábio de Melo (Formiga, 3 de abril de 1971) é um sacerdote católico, artista, escritor, professor universitário e apresentador brasileiro. Pertenceu à Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus. Atua na Diocese de Taubaté, no interior do Estado de São Paulo.

via   /pt.wikipedia.org/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s